RMMG - Revista Médica de Minas Gerais

Volume: 21. (4 Suppl.4)

 

Editorial

1 - Editorial

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):1, Ago/Dez, 2011

Artigos de Revisão

2 - Abordagem anestésica ao TRM: otimizando resultados

Spinal Cord injury management: improving outcomes

Aline Viana Carvalho Amorim; Daniel Câmara de Rezende; Naiara Borges Santiago; Victor Hugo Mariath Rangel

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):4-14, Ago/Dez, 2011

A assistência a vítimas de traumatismo raquimedular (TRM) permanece complexa e desafiadora. Trata-se de doença ainda muito frequente, que atinge principalmente a população jovem. Novos esforços, tecnologias e conhecimentos acerca do assunto têm contribuído para a redução da morbimortalidade. As alterações fisiopatológicas encontradas são consequências da lesão mecânica primária e dos eventos secundários subsequentes relacionados a alterações locais e sistêmicas. Inexistem mecanismos para melhorar o prognóstico desses pacientes no tocante às lesões primárias. Sendo assim, o foco da abordagem é a prevenção de lesões secundárias. Neste sentido, o anestesiologista torna-se de grande relevância na busca de melhores resultados neurológicos, uma vez que esses pacientes são submetidos a abordagens cirúrgicas em momentos críticos. Este artigo tem como objetivo revisar a literatura específica em busca das melhores evidências disponíveis no momento para conduzir os casos de vítimas de TRM minimizando o risco de lesão medular adicional e promovendo o melhor status funcional possível.

Palavras-chave Traumatismos e Lesões; Medula Óssea/lesões; Tronco Encefálico/ lesões; Anestesiologia; Prognóstico.

Assistance to spinal cord injury (SCI) victims remains complex and challenging. It is still a very common disease affecting mainly young population. New efforts, technology and knowledge contributed to reduce morbidity and mortality. Pathophysiological alterations results of primary mechanical injury and secondary events related to subsequent local and systemic changes. There are no mechanisms to improve the prognostic of these patients in regard to primary lesions. Thus, the focus of the approach is prevention of secondary injuries. In this sense, the anesthesiologist becomes very important in achieving better neurological outcome, since these patients are undergoing surgical procedures in critical moments. This article aims to review specific literature searching for the best currently available evidence to conduct SCI victims cases, minimizing the risk of further lesions and promoting the best functional status.

Keywords Wounds and Injuries; Bone Marrow/injuries; Brain Stem/injuries; Anesthesiology; Prognostic.

3 - Anestesia com fluxo basal de gases (Quantitativa)

Low Flow Anesthesia (Quantitative)

Neuber Martins Fonseca; Dalmo Garcia Leão; Deborah Gomes Félix; Gabriel Gondim Fonseca; Beatriz Lemos Da Silva Mandim; Roberto Araújo Ruzzi; Neise Apoliany Martins; Paulo Ricardo Rabello de Macedo Costa

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):15-26, Ago/Dez, 2011

O baixo fluxo de gases é técnica racional de utilização de gases anestésicos proporcional ao paciente, com otimização do vapor anestésico empregado. Permite previsão do volume anestésico utilizado, conservação do calor corporal e umidificação dos gases administrados, economia de agentes anestésicos e monitorização de parâmetros fisiológicos. Este trabalho faz estudo e aplicação prática da anestesia com fluxo basal de gases (quantitativa), apresentando conceitos e aplicações como concentração alveolar mínima (CAM) e concentração de manutenção da anestesia (CoMA), coeficiente de partição sangue-gás (lBG), número de Brody (Kg 0,73), "prime" ou "dose prima" ou "volume inicial" ou "volume de saturação", constante de tempo e captação tecidual (Ct) de anestésico. Diferentes técnicas para realização da técnica são apresentadas, como administração de anestésico líquido no ramo expiratório de anestesia, por seringa ou bomba de infusão ou vaporizador universal tipo kettle.

Palavras-chave Anestesilogia/instrumentação; Anestesiologia/métodos; Técnicas; Anestesia por Inalação; Anestésicos; Anestésico/administração & dosagem; Equipamentos Cirúrgicos.

Low flow anesthesia is a rational technique to proportionally use anesthetic gases inhaled by the patient, optimizing the anesthetic steam employed. It allows predicting the anesthetic volume employed, maintaining the body temperature and humidifying the gases administered, saving on anesthetic agents and monitoring physiological parameters. This work studies and practical application of low flow anesthesia (quantitative) presenting concepts and applications such as minimum alveolar concentration (MAC) and concentration to maintain anesthesia (CoMA), blood-gas partition coefficient (BGPC), Brody number (Kg 0.73), "prime" or "prime dose" or "initial volume" or "saturation volume", time constant and tissue anesthetic uptake. Different ways to employ the technique are presented, such as administering a liquid anesthesia in the expiratory branch of the anesthesia circuit with a syringe or an infusion bomb, or with a universal anesthetic vaporizer similar to a kettle.

Keywords Anesthesiology/instrumentation; Anesthesiology/methods; Techniques; Anesthesia, Inhalation; Anesthetics; Anesthetics/administration & dosage; Surgical Equipment.

4 - Dexmedetomidina: aplicações em pediatria e potencial efeito neuroprotetor em neonatos

Dexmedetomidine: uses in pediatrics and potential neuroprotective effect in newborns

Izabela Fortes Lima; Roberta Bernardes Rodrigues; Yerkes Pereira e Silva

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):27-37, Ago/Dez, 2011

Os fármacos alfa-2 agonistas são cada dia mais utilizados em anestesiologia, seja como adjuvante ou como agente anestésico único, porém, sua utilização na faixa etária pediátrica e principalmente neonatal ainda é bastante restrita. A grande preocupação atual está relacionada ao potencial neurotóxico das drogas anestésicas e a possível interferência no desenvolvimento neurocognitivo da criança. O objetivo desta revisão foi fazer uma análise do emprego da dexmedetomidina em crianças, com ênfase na avaliação do seu efeito neuroprotetor nessa faixa etária. Foi realizada revisão da literatura do período de 1980 a 2011. Nesta revisão, as características farmacocinéticas e farmacodinâmicas da dexmedetomidina em pediatria e sua ação neuroprotetora em recém-nascidos são ressaltadas. A dexmedetomidina mostrou ser uma droga promissora na faixa etária pediátrica, devido ao seu perfil de segurança, baixa toxicidade e potencial neuroprotetor. Além disso, apresenta efeitos variados, promovendo sedação, analgesia e hipnose, com efeitos colaterais mínimos. Porém, mais estudos são necessários para que se possa recomendar seu uso de maneira rotineira em crianças.

Palavras-chave Farmacologia; Agonistas Adrenérgicos alfa; Anestésicos; Anestesiologia; Dexmedetomidina; Neurotoxinas; Recém-Nascido; Pediatria

The alpha-2 agonists drugs are increasingly used in anesthesiology, either as adjuvant or as a sole anesthetic agent, but its use in pediatric and especially in newborns is still very restricted. Nowadays the major concern is related to the neurotoxic potential of anesthetic drugs, and possible interference in the child's neurocognitive development. The objective of this review was to analyze the use of dexmedetomidine in children with emphasis on evaluation of its neuroprotective effect in this age group. A review of literature through a search in medical databases using period from 1990 to 2011. In this review, pharmacokinetic and pharmacodynamic profiles of dexmedetomidine in pediatric and its neuroprotective action in neonates are emphasized. Dexmedetomidine is a promising drug in the pediatric population due to its safety profile, low toxicity and neuroprotective potential. Besides, it has various effects promoting sedation, analgesia and hypnosis, with minimal side effects. Further studies are needed so that we can recommend its use routinely in children.

Keywords Pharmacology; Adrenergic alpha-Agonists; Anesthetics; Anesthesiology; Dexmedetomidine; Neurotoxins; Infant, Newborn; Pediatrics.

5 - Manejo pré-operatório de medicações hipoglicemiantes

Preoperative management of Hypoglycemic medications

Alexandre Almeida Guedes; Philipp Mendes Lawall; Alexandre Baptista da Silva; Eduardo Nassif Martins

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):38-41, Ago/Dez, 2011

O diabetes mellitus é um distúrbio metabólico crônico com consequências agudas e crônicas. Portanto, é importante que os anestesiologistas conheçam as principais complicações e saibam manusear as principais drogas utilizadas para o controle da doença. O controle rígido da glicemia pré-operatória é importante para evitar complicações no intra e no pós-operatório.

Palavras-chave Diabetes Mellitus/cirurgia; Anestesia; Cuidados Pré-Operatórios; Cuidados Pós-Operatórios; Anestésicos/administração e dosagem; Hipoglicêmicos/administração & dosagem; Hiperglicemia.

Diabetes Mellitus is a chronic metabolic disorder with acute and chronic consequences. Therefore it is important that anesthesiologists know the principals handle complications and know the main drugs used to control the disease. Strict control of blood glucose is essential for preventing complications in intra-and postoperatively.

Keywords Diabetes Mellitus/surgery; Anesthesia; Hypoglycemic Agents/administration & dosage; Preoperative Care; Postoperative Care; Anesthesics/administration & dosage; Hyperglycemia

Relato de Caso

6 - Analgesia de parto com remifentanil em paciente portadora de anemia falciforme com crise álgica: relato de caso

Labor analgesia using remifentanil for pacient in sickle-cell painful crisis: case report

Raquel Rangel Costa; Paulo César de Abreu Sales; Walkíria Wingester Vilas Boas; Lamartine Salgado Neto; Thiago Gonçalves Wolf; Antônio Lucas Binda Júnior

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):42-46, Ago/Dez, 2011

A anemia falciforme é uma doença com forte impacto na gravidez. Anemia, infecção e fenômenos vaso-oclusivos são mais frequentes nas pacientes obstétricas, sendo as crises álgicas intensificadas durante a gestação, especialmente no terceiro trimestre. Esse relato de caso ilustra opção terapêutica eficaz para tratamento concomitante de crise álgica em membro superior e analgesia de trabalho de parto. A analgesia de parto venosa com remifentanil é um método relativamente novo, que tem sido usado principalmente como alternativa nos casos em que há contraindicação de analgesia no neuroeixo. No caso em questão, apesar de não haver contraindicação à punção do neuroeixo, a analgesia venosa com remifentanil foi uma opção estratégica de expressiva valia, uma vez que foi útil na analgesia de parto e também eficaz no tratamento da crise álgica em membro superior, o que não seria possível com a técnica regional usual de analgesia de parto.

Palavras-chave Anemia Falciforme; Anemia Falciforme/complicações; Dor/complicações; Analgesia Obstétrica; Anestésicos; Remifentanil.

Sickle-cell anemia is a disease with an important impact on pregnancy. Anemia, infection and vaso-occlusive crisis are more common in obstetric patients. Sickle-cell painful crisis are more frequently in pregnancy, especially in the third term. This case report shows an effective option for treatment of upper limb sickle-cell painful crisis and labor analgesia at the same time. The use of venous remifentanil as an alternative technique for analgesia during labor is relatively new, and is used especially when the neuraxial analgesia is contraindicated. In this case report, there were no contraindications for neuraxial analgesia, but the use of venous remifentanil was a good option strategy, making possible treating the upper limb sickle-cell painful crisis and labor analgesia at the same time with a unique technique, what would be impossible with the classic regional technique of labor analgesia.

Keywords Sickle-cell Anemia; Sickle-cell Anemia/complications; Pain/complicagoes; Analgesia, Obstetrical; Anesthetics; Remifentanil.

7 - Anestesia em paciente portador da Doença de Charcot-Marie-Tooth: qual a melhor técnica anestésica?

Anesthesia in patient with Charcot-Marie-Tooth Disease: what is the best anesthetic technique?

Amanda Guerson Porto; Jaci Custódio Jorge; Ana Luiza Murta Timponi de Moura; Romildo Loures de Alcântara

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):47-50, Ago/Dez, 2011

A doença de Charcot-Marie-Tooth (CMT) é uma polineuropatia periférica hereditária motora e sensitiva, caracterizada clinicamente por acometimento distai, principalmente de membros inferiores, levando a à fraqueza muscular e atrofia.1,2,3 A incidência de 1:2.500 4 torna possível ao anestesiologista defrontar-se com essta situação com certa frequência. Apesar do avanço na descoberta de novos genes responsáveis pela doença e da correlação entre genótipo e fenótipo, a experiência anestésica com esses pacientes é bem limitada.4,5 O objetivo do trabalho é apresentar a conduta anestésica no em relação ao paciente com CMT que, no caso relatado, foi submetido à cirurgia de ressecção prostática transuretral (RTUP), devido à hiperplasia prostática benigna, uma cirurgia classicamente realizada com bloqueio de neuroeixo, considerando-se as controvérsias ainda existentes relacionadas à doença. Trata-se de paciente de 60 anos sabidamente portador da doença de CMT, com diagnóstico há cinco anos, com anestesia do tipo botas e luvas, associado à parestesia de membros, sem cirurgias prévias.

Palavras-chave Doença de Charcot-Marie-Tooth; Polineuropatias; Doenças Desmielinizantes; Bloqueio Sinoatrial; Bloqueadores Neuromusculares; Anestesia.

The Charcot-Marie-Tooth (CMT) is a peripheral hereditary motor and sensory neuropathy, clinically characterized by distal involvement, mainly in lower limbs, leading to muscle weakness and atrophy.1,2,3 The incidence of 1:25004 makes it possible for the anesthesiologist faced with this situation with a certain frequency. Despite advances in the discovery of new genes responsible for disease and the correlation between genotype and phenotype, the anesthetic experience with these patients is very limited.4,5 The objective of this study is to present the anesthetic management in patients with CMT that in our case, underwent transurethral prostate resection (TURP), due to benign prostatic hyperplasia, surgery performed classically with neuraxial block, considering the controversies still exist related the disease. It is about 60 year old patient, known to carrier of disease CMT, diagnosed 5 years ago, anesthesia type boots and gloves, associated with numbness of limbs, with no previous surgeries.

Keywords Charcot-Marie-Tooth Disease; Polyneuropathies; Demyelinating Diseases; Sinoatrial Block; Neuromuscular Blocking Agents; Anesthesia.

8 - Bloqueio atrioventricular de 2° grau tipo Mobitz II evidenciado no ato cirúrgico: a importância de adequada avaliação do risco perioperatório

Second degree atrioventricular block Mobitz II evidenced during surgery: the importance of adequate perioperative risk evaluation

Ana Luiza Murta Timponi de Moura; Jaci Custódio Jorge; Tereza Augusta Grillo; Amanda Guerson Porto; Camilla Frota Barroso

Rev Med Minas Gerais; 21.(4 Suppl.4):51-54, Ago/Dez, 2011

O período perioperatório engloba o intervalo que se relaciona ao pré, intra e pós-operatório (até 30 dias). Nesse período, existe o risco de complicações relativas à própria intervenção cirúrgica e ocasionadas pelo estresse físico e emocional, pelo aumento da atividade simpática ou, ainda, decorrente dos distúrbios metabólicos e hidroeletrolíticos (hipocalemia, hipomagnesemia, hipoxemia), além da administração de agentes anestésicos com incidência de 15-30% para o desencadeamento de arritmias cardíacas.1 Portanto, é de grande importância o reconhecimento de fatores de risco e as estratégias para diminuir problemas. Relata-se o caso de um homem de 61 anos de idade hospitalizado com quadro de colecistite aguda e indicação de cirurgia em caráter de urgência. Na monitorização eletrocardiográfica no ato operatório, observou-se ritmo bradicárdico, com QRS estreito e frequência cardíaca de 47 bpm. Optou-se pela infusão endovenosa de 1 mg de atropina, registrando-se na sequência piora da bradiarritmia, com freqüência cardíaca de 33 bpm. Houve necessidade de marca-passo transcutâneo. O procedimento cirúrgico foi continuado, durando 1 hora e 30 minutos, e o paciente permaneceu hemodinamicamente estável. Existia relato de ser ele portador de hipertensão arterial (HAS), com registro eletrocardiográfico anterior à hospitalização, demonstrando padrão de bloqueio atrioventricular (BAV) do 2° grau do tipo 2:1, com condução intraventricular normal (sem bloqueio de ramo troncular ou fascicular) e frequência cardíaca de 47 bpm. O padrão de resposta à atropina fez considerar esse paciente como portador de BAV de 2° grau tipo Mobitz II.

Palavras-chave Bloqueio Atrioventricular; Período Perioperatório; Bradicardia; Marca-Passo Artificial; Arritmias Cardíacas.

The perioperative period encompasses the range concerning preoperative, intraoperative and postoperative period (30 days). During this perioperative period, there is the risk of complications related to the surgical procedure and caused by physical and emotional stress, increased sympathetic activity or metabolic and electrolyte disorders (hypokalemia, hypomagnesemia, hypoxemia), besides the administration of anesthetic agents with incidence of 15-30% for triggering cardiac arrhythmias. It is therefore of great importance to recognize risk factors and strategies to reduce problems. It is reported the case of a 61-year-old male hospitalized with signs of acute cholecystitis, who was stated to be operated on urgently. In electrocardiographic monitoring during surgery, bradycardic rhythm, with narrow QRS and heart rate of 47 bpm, was observed. We opted for the intravenous infusion of 1 mg of atropine, which resulted in the worsening of bradyarrhythmia, with heart rate of 33 bpm. There was need for a transcutaneous pacemaker. The surgical procedure was continued, lasting 1 hour and 30 minutes, and the patient remained hemodynamically stable. It was said that he had arterial hypertension, with electrocardiographic records prior to hospitalization, showing pattern of second degree atrioventricular block type 2:1, with normal intra-ventricular conduction (without a bundle branch or a fascicular block) and heart rate of 47 bpm. The standard response to atropine made us consider this patient as having a second degree atrioventricular Mobitz II

Keywords Atrioventricular Block; Perioperative Period; Bradycardia; Pacemaker, Artificial; Arrhythmias, Cardiac

RESUMOS DOS TRABALHOS APRESENTADOS NA 45ª JORNADA DE ANESTESIOLOGIA DO SUDESTE BRASILEIRO