RMMG - Revista Médica de Minas Gerais

Volume: 29. (Suppl.10) DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/2238-3182.20190081

Voltar ao Sumário

Suplemento do 2º Curso de Antibiocoterapia LIPDIP/LADIP

Relato de caso - manejo da antibioticoterapia empregada na complicação hospitalar pós cirúrgica

Lais Gusmão Silva1; Sofia Lannes Tolentino1; Kathleen Emerick Paiva Faria2; Jader Bernardo Campomizzi3

1. Acadêmicas de Medicina do Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG, Brasil. E-mail: lais.gusmao7@gmail.com; sofialannes@gmail.com
2. Acadêmica de Medicina da Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS. Belo Horizonte, MG, Brasil. E-mail: kat.emerick@ gmail.com.
3. Professor da disciplina de Farmacologia do Centro Universitário de Belo Horizonte. Belo Horizonte, MG, Brasil. E-mail: jader.campomizzi@prof.unibh.br

 

Resumo

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A escolha da antibioticoterapia adotada em pacientes acometidos de complicações infecciosas pós-cirúrgicas demanda experiência clínica hospitalar. O objetivo deste trabalho foi discutir a migração da antibioticoterapia em paciente devido ao surgimento de nova infecção. RELATO DE CASO: Paciente feminino, 45 anos, internou-se em um hospital público de Belo Horizonte (Minas Gerais) para fechamento de colostomia realizada devido a acidente com arma de fogo há 90 dias. Para realização da cirurgia de fechamento da colostomia, fez-se uso de cefoxitina como antibioticoterapia profilática, 2g IV. Após 3 dias, a paciente apresentou dor na cicatriz cirúrgica, vômitos e febrícula. Sendo realizados os procedimentos necessários e iniciado esquema de antibióticos com clindamicina e gentamicina. Após dois dias, a paciente apresentou febre, taquicardia, taquipneia, queda da pressão arterial e queda da saturação arterial de oxigênio. Radiografia de tórax mostrou consolidação na base do pulmão direito, sendo prescrita fisioterapia respiratória, e os antibióticos vancomicina e meropenem. Paciente apresentou melhora clínica e recebeu alta em boas condições médicas no 15º dia de internação hospitalar. CONCLUSÃO: A modificação dos antibióticos ocorreu devido à necessidade de adequação terapêutica específica da infecção pós-cirúrgica e surgimento de pneumonia hospitalar. Os principais determinantes desta escolha foram a abrangência do espectro de ação dos antibióticos e os patógenos prevalentes no ambiente hospitalar.

Palavras-chave: Antibioticoterapia. Indicações clínicas. Espectro de ação.

 

Referências:

1. Rocha JJR. Infecção em cirurgia e cirurgia das infecções. Medicina (Ribeirão Preto). 2008;41(4):487-90.

2. Silva SM, Melo CCL, Almeida SB, Queiroz HF, Soares AF. Complicações das operações de reconstrução do trânsito intestinal. Rev Bras Coloproctol. 2006;26(1):24-7.

3. Levin ASS. Quais os princípios gerais da profilaxia antibiótica antes de intervenção cirúrgica? Rev Assoc Med Bras. 2002 Dez;48(4):282.

4. Anderson DJ, Sexton DJ. Antimicrobial prophylaxis for prevention of surgical site infection in adults [base de dados na Internet]. Waltham, MA: UpToDate Inc. [atualizada em 13 ago. 2019]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/antimicrobial-prophylaxis-for-prevention-of-surgical-site-infection-in-adults.

5. Costa AALF, Mendoza JFW, Mazzucca ACP, Akamine N, Riera R. Evidências de revisões sistemáticas Cochrane sobre antibioticoprofilaxia em cirurgia. Diagn Tratamento. 2016;21(4):177-85.

6. Tavares W. Antibióticos e quimioterápicos para o clínico. 2ª ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2009.

7. Marinho DS. Vancomicina, estudo de utilização com ênfase em suas reações adversas [dissertação]. Rio de Janeiro: INCQS/ FIOCRUZ, 2005.

8. Drew RH, Sakoulas G. Vancomycin: Parenteral dosing, monitoring, and adverse effects in adults. [base de dados na Internet]. Waltham, MA: UpToDate Inc. [atualizada em 18 set. 2019]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/vancomycin-parenteral-dosing-monitoring-and-adverse-effects-in-adults.